COMO PREPARAR UM BOM CAFÉ

COADOR.jpg

FILTRO DE PAPEL E COADOR DE PANO

As técnicas de preparo de café em coador de pano e filtro de papel são bastante semelhantes e utilizadas. Antigamente o correto era jogar a água quente sobre o café para depois despejá-lo no coador de pano.

Não é só no Brasil que esse método de preparo é um costume secular, na maioria dos países o café coado é o método de preparo por excelência, a exemplo do Japão e  Escandinávia. Talvez se explique esta preferência pelo fato do café expresso ser mais concentrado, tendo suas características mais evidenciadas (sabor, aroma, acidez, doçura, amargor, aftertaste) e o café coado ser mais diluído, suave, podendo assim ser tomado em maiores quantidades.

Este tipo de café costuma ter mais cafeína do que o expresso, devido ao maior tempo que leva no seu preparo.

 

Tanto para coadores de pano quanto para filtros de papel ou polietileno, a moagem dos grãos deve ser fina. Como a trama do tecido costuma ser mais aberta que a do filtro de papel, não é incomum encontrar borra na bebida e o café do coador ser mais oleoso, encorpado e menos brilhante que o do filtro.

 

Coadores de pano podem reter resíduos que interferem no sabor do café, enquanto os filtros de papel ou polietileno tendem a ser mais práticos e devem ser do tamanho adequado ao porta-filtro. O pó deve ser disposto uniformemente dentro do recipiente (filtro ou coador), sem apertá-lo, usando cerca de 8 colheres (sopa) de pó de café para cada litro de água. Assim que a água começar a soltar bolhas, antes de levantar fervura, deve ser desligada e jogada lentamente sobre o pó de café.

Tanto filtro reutilizáveis e os coadores de pano devem ser lavados apenas com água, para não correr o risco de o detergente interferir no sabor da bebida.

ELETRICA.jpg

CAFETEIRA ELÉTRICA

Não há grandes segredos. Quando elas são ligadas na tomada, a água aquece até 70°C e dobra de volume. Acontece então uma troca de pressão e ela passa lentamente para o compartimento de cima, gotejando sobre o pó de café e liberando a bebida.

capuslas.jpg

MÁQUINA DE CAFÉ EM CÁPSULAS

Seu preparo é muito simples, bastando colocar água no recipiente e inserir a cápsula individual de café no compartimento próprio. A máquina se encarrega de fazer o resto.

Um dos maiores diferenciais está na grande variedade de aromas.

cafeira italiana.jpg

CAFETEIRA ITALIANA

Mais conhecida como “moquinha”, esta cafeteira é também uma das mais perigosas, pois podem acontecer explosões. É preciso que a moagem seja grossa, pois se for muito fina, pode entupir o equipamento. O método de preparo é bem similar ao da elétrica, já que a água fica embaixo, o pó no meio e a bebida é transportada para cima.

 

O ideal é desligar o fogo e tampar a cafeteira quando o líquido estiver na metade da parte superior. Recomenda-se  que o consumidor compre um moedor de grãos ou adquira o café moído grosso diretamente nas cafeterias para não correr riscos.

 

A bebida feita na moquinha acaba sendo bem semelhante à da máquina expressa no que diz respeito à concentração de sabor.

globinho.jpg

GLOBINHO

Embora esta cafeteira seja bem pouco conhecida, ainda é utilizada por alguns apaixonados por café. Ela é composta por dois globos de vidro, um deles com funil, um filtro, uma base e a chama, que é a fonte de calor. A água, que pode ser previamente aquecida, é colocada no globo inferior e o café, no superior. Os globos são encaixados e o conjunto é disposto sobre a chama. A água quente sobe e se mistura ao café. É preciso aguardar alguns segundos para que a infusão aconteça. Aí retiramos o conjunto do fogo e, conforme o globo inferior esfria, é criado um vácuo que puxa o líquido com pó para baixo e assim a bebida é filtrada, porque o pó fica retido no filtro metálico do centro.

expressa.jpg

CAFETEIRA EXPRESSA

O café expresso é a bebida preparada em uma máquina profissional através da passagem de água aquecida a 90°C pelo pó de café fino e compactado sob alta pressão (9 bars). Com sabor concentrado, a bebida não tem tanta cafeína e há mais sólidos dissolvidos por volume. No preparo do café expresso, o grão é moído na hora de uma forma fina e é disposto no “cachimbo”, onde deve ser compactado com um equipamento próprio, exercendo-se entre 15 kg e 20 kg de peso sobre o pó. Quando o cachimbo é encaixado na cafeteira, a água quente passa então pelo pó lentamente, e leva cerca de quatro segundos até cair na xícara.